Teresa Almeida

Muito se fala de Sustentabilidade

mas, o que significa ser sustentável?

De acordo com o dicionário da língua portuguesa, estamos a falar de algo que se pode sustentar, de um modelo de sistema que tem condições para se manter ou conservar.

 

Ou seja, em relação ao meio ambiente significa que devemos utilizar os recursos que temos disponíveis de forma racional e consciente, suprindo as nossas necessidades no presente, sem comprometer a sua disponibilidade para as gerações futuras, garantindo a sua preservação.

 

Mas os impactos não se resumem ao meio ambiente. Estes também podem ser sociais, económicos e culturais.

 

 

Em qualquer dos casos, a definição de sustentabilidade continua a ser a mesma. Há que garantir as condições necessárias para que qualquer um dos sistemas, social, económico ou cultural se possa manter ou conservar e mais uma vez a pensar não só no presente mas também na sociedade que as gerações futuras vão herdar.

 

Exemplo prático:

De que forma estou eu a contribuir para o sucesso de cada um deles?

Ao empreender eu tinha em mente o desejo de prosperar num negócio criado por mim, de me realizar profissionalmente, de conquistar a minha independência financeira, de ver o meu trabalho e o meu esforço reconhecido e até de proporcionar mais conforto à minha família.

 

No entanto este desejo não se fica por aqui, porque ao buscar o meu sucesso e o sucesso da minha marca procuro também criar oportunidades de trabalho e assim contribuir para o desenvolvimento social.

 

Trago na bagagem conhecimento do que é ser-se desvalorizado, como tal não aceito para mim nem para ninguém tal tratamento. Priorizar o ser humano e a sustentabilidade social é um fator importante a ter em conta. O comércio justo dignifica o trabalho, pratica a responsabilidade social e a gestão sustentável dos recursos naturais.

 

Sempre que está ao meu alcance ainda apoio projetos que visem contribuir para colmatar os prejuízos de impactos negativos quer na sociedade quer no meio ambiente.

 

Ao nível do impacto cultural, o meu principal contributo passa pelos meus produtos, que são feitos à mão.

 

São produtos feitos à mão, que promovem e fomentam o artesanato.

 

Outro dos contributos que procuro fazer é na partilha de arte e conhecimento, através desta que és mi casa (o site), dando inclusivamente oportunidade a outros artistas de exporem o seu trabalho.

 

No fundo eu procuro impactar de forma positiva a realidade das pessoas que me rodeiam, que se identificam comigo e escolhem estar ao meu lado, seguir a minha marca e consumir os meus produtos ou serviços.

 

No que refere ao impacto económico, dou preferência a matérias primas encontradas a nível local ou nacional. Não só se encontram matérias primas de excelente qualidade em Portugal, como ao optar por produtos nacionais, comprados a empresas nacionais, estou a contribuir para a saúde da nossa economia. Empresas saudáveis têm condições de criar ou manter postos de trabalho proporcionando poder de subsistência e de compra a mais famílias.

 

O meu contributo para colmatar o impacto ambiental passa pela escolha das matérias primas e pelas técnicas utilizadas na confecção dos meus produtos.

Utilizo normalmente tecidos excedentes de produção, e provenientes de dead stock. Por vezes também faço o aproveitamento de tecidos usados, regra geral gangas. A reciclagem de qualquer dos materiais que acabo de referir, faço-a por meio de upcycling, ou seja,  prolongo-lhes o tempo de vida sem recorrer a processos químicos ou mecânicos que possam consumir mais recursos, como acontece no processo normal de reciclagem.

 

A transformação por este método é vista como modo preventivo do desperdício, através da valorização da matéria-prima, e, consequentemente, da peça recriada.

Sempre que o investimento recai sobre tecidos novos dou preferência a fibras naturais, sejam de origem animal, como é o caso da lã, ou vegetal como o linho por exemplo, que além de ser minhas matérias primas de eleição, é um tecido com baixo impacto ambiental no seu ciclo de vida.

 

Concluindo, os meus objetivos são claros, transparentes e mensuráveis para o agora e para o amanhã. Tracei como missão contribuir para o desenvolvimento da nossa sociedade e para a preservação do meio ambiente.

 

Apoio a compra consciente, com transparência na informação para que cada cliente saiba o que está a comprar

 

A sustentabilidade financeira é sim um fator importante para um projeto de impacto positivo acontecer e prosperar, mas não fica por aí! A oportunidade de empreender para o bem social e ambiental traz satisfação pessoal e emocional, fazendo assim todos os dias merecerem sorrisos.

Tu sabes quem vai gostar de ver isto!

Partilha ;)

Artigos Relacionados