Teresa Almeida

Afinal, Quantos Rs tem a Sustentabilidade

Afinal, quantos Rs tem a Sustentabilidade?

Como já tínhamos visto, no artigo “Muito se fala de sustentabilidade“, na definição de sustentabilidade implica, utilizarmos os recursos que temos disponíveis de forma racional e consciente, garantindo a sua preservação sem comprometer a sua disponibilidade para as gerações futuras.

 

Observando este que é o verdadeiro objetivo a alcançar, por meio das nossas ações, num olhar sucinto sobre este assunto, eu continuo a contar 3 Rs na Sustentabilidade.

 

Repensar, Reduzir e Reciclar.

REPENSAR

 

Este é o conceito base do consumo sustentável. 

 

Será que preciso mesmo disto?

 

Antes de tomar qualquer decisão pergunta-te se precisas mesmo de fazer ou comprar algo.

 

Desta forma garantes que não estás a agir por impulso ou influência de fatores externos e sim, por ser a forma mais benéfica ou necessária.

 

  • Compro produtos duráveis e resistentes evitando comprar produtos de fraca qualidade que não duram 3 dias?
  • Compro produtos reutilizáveis em vez de produtos descartáveis?
  • Realmente preciso de determinados produtos que compro ou me oferecem?
  • Compro produtos provenientes de trabalho escravo?
  • Compro produtos produzidos por crianças que são obrigadas a trabalhar?
  • Leio os rótulos dos produtos para conhecer as suas recomendações ou informações ambientais?
  • Evito comprar produtos que possuem elementos tóxicos ou perigosos?
  • Posso reparar ou reutilizar determinado produto em vez de o descartar?
  • Se algo não tem recuperação possível, pode ser reciclado?
  • Evito embalagens desnecessárias? 
  • Trato o meu lixo orgânico ou biodegradável de forma a promover a sua reintegração no meio ambiente? 
  • Posso utilizar a bicicleta em vez do carro para ir para o trabalho ou passear? (neste caso então, com o preço dos combustíveis constantemente a subir, já nem coloco a questão)

 

Para estas e outras questões que te possas colocar, REPENSA sempre as tuas ações antes de as pores em prática e avalia se realmente precisas fazer ou consumir algo.

REDUZIR

 

Estás a REDUZIR o teu consumo quando optas por, .

 

  1. Reparar ou Reutilizar determinados produtos em vez de os substituir/descartar.
  2. Recusar-te a consumir:
  • O que não precisas!
  • Produtos fabricados por empresas que não respeitam o ser humano, a natureza ou prejudicam o meio ambiente. 
  • Produtos de fraca qualidade só porque são mais baratos (mas que acabas por ter que comprar mais vezes. Feitas as contas aumentas consideravelmente a despesa e todo o lixo produzido)
  • Toda e qualquer embalagem desnecessária
  • Produtos descartáveis quando tens alternativas reutilizáveis 

RECICLAR

 

Uma seleção cuidada de tudo o que tens a descartar é um factor de extrema importância para fechar o ciclo dos 3 Rs.

 

Consoante a natureza do produto, quando excluídas todas as hipoteses de o reciclar por meio de Upcycling, assim deverá ser encaminhado para o destino mais adequado. 

 

Para fazer esta seleção, os itens dividem-se em 3 principais grupos:

 

O produto em causa:

 

  • Não é passível de ser recliclado – Encaminha para o lixo comum
  • Pode ser reciclado – (Depois de excluídas as hipoteses de Upcycling) – Encaminha para o contentor de reciclagem de acordo com o tipo de material. (vidro, embalagens, papel, oleo, pilhas…)
  • Produto é orgânico ou biodegradável – Reintegra-o na natureza, Faz Compostagem. (Se tiveres condições de fazer em casa, num compostor doméstico ou num quintal, optimo. Se não, podes procurar saber se na tua localidade existe algum serviço ou entidade interessada na recolha deste tipo de detritos.)

 

Sendo que este artigo fala de sustentabilidade e do que são as nossas escolhas, num pequeno à parte, partilho este episódio 🙂

 

Num workshop relacionado com Upcycling e Sustentabilidade, que frequentei durante um evento de moda,  foi grande o espanto geral quando a Designer estrangeira, dona de uma escola de moda de gabarito internacional, que estava ministrar a formação disse, com um sorriso rasgado, algo do género “A Zara está no oposto do que é o conceito de sustentabilidade, mas todos nós continuamos a comprar. Não temos outra hipótese!”.

 

Foi aqui que interrompi o momento de silencio que se fez na sala e disse – Eu não compro! De repente todos olharam para mim como se eu fosse uma ave rara 🙂

 

A verdade, que até partilhei na altura, é que tinha vestido uns calções e uma blusa feitos por mim, com tecidos provenientes de dead stock. 

 

No final, ninguém ali presente me excluiu por não vestir Zara e ainda troquei alguns contatos.

 

Já agora, a formação não foi grande coisa. Não acrescentou nada de novo e os exemplos não só foram fraquinhos como chegaram a não fazer sentido pelos materiais utilizados nos modelos. 

 

Muitas vezes diz-se e faz-se parecer mais do que aquilo que se é… enfim.

 

Se gostas, partilha ;)

Artigos Relacionados

Redes Sociais

Teresa Almeida foto
Get The Latest Updates

Subscreve a Newsletter

Sem spam, notificações apenas sobre novos produtos e atualizações.

INTERESTED IN WORKING WITH ME?

FEEL FREE TO REACH OUT TO DISCUSS HOW WE CAN WORK TOGETHER.

I’LL REPLY AS QUICKLY AS POSSIBLE!