Teresa Almeida

Estou a Reutilizar ou a Reciclar?

Na verdade em ambos os casos o objetivo é o mesmo, promover o ato mais sustentável em todos os aspectos sejam económicos, ambientais ou sociais.

Comecemos por falar de Reutilização.

 

Como já partilhei anteriormente, no artigo “Afinal, quantos R’s tem a Sustentabilidade” uma das formas de reduzirmos o nosso consumo é reutilizarmos algo. Como o seu próprio nome indica estamos a falar de algo que já foi utilizado e que podemos voltar a utilizar.

 

Quando falo de reutilizar o meu pensamento percorre logo o espaço à minha volta em busca exemplos. 

 

O que é que eu posso reutilizar, como e para que efeito?

 

Então para melhor organizar as ideias, dividi este conceito em três grupos: 

Sobre os descartáveis,

À medida que foram surgindo no mercado produtos descartáveis que nos vinham “facilitar” o dia a dia, depressa foram adoptados por toda a gente, ou pelo menos por uma grande maioria. 

 

Os produtos descartáveis são normalmente feitos com qualidade à medida do seu propósito, que é usar e deitar fora, e por isso é claro que o preço faz com que se tornem apelativos. No entanto há que observar que esse preço é por cada utilização. Faz lá as contas por um período mais alargado de tempo e vê quanto na realidade te está a custar manter essa dita qualidade de vida. 

Começando pelos Produtos Reutilizáveis que têm versões descartáveis seguem-se alguns exemplos: 

Guardanapos de pano, Sacos de compras, Toalhitas de limpeza do rosto ou desmaquilhantes, Pensos Absorventes, Fraldas, toalhitas para bebé, sacos para o lanche, etc.

 

Porquê, porquê, porquê…?

 

Porquê ter que andar com sacos atrás para ir às compras quando têm lá sacos que até são baratos e depois posso aproveitar para o lixo. 

Quanto ao saco ir para o lixo sugiro-te este artigo Sacos de Plástico, Vilões Imortais onde a coisa está bem explicada e escuso de estar aqui a repetir. 

Quanto a andares com os sacos, tens várias opções no mercado que se podem ajustar melhor a cada situação. Podes sempre trazer contigo um saco mais leve para uma compra pontual no teu dia a dia e ter sacos mais resistentes e duráveis para quando a ida às compras é programada.

 

É de facto muito prático usar e deitar fora, no entanto, se para isso tivermos que viver em autenticas lixeiras, prejudicando todo o ecossistema com os níveis elevados de poluição, seja em terra ou no mar e ainda pondo em causa a nossa saúde, passa a ser no mínimo motivo para pensar duas vezes. Mesmo que não salte à vista em todo o lado, como à nossa porta, isso já acontece a nível mundial.

 

Produtos que servem de Embalagem para os que realmente consumimos.

Exemplo: Frascos de vidro, caixas com tampa (marmelada, gelado…), embalagens de detergentes (roupa, louça), garrafas, etc.

 

Porquê comprar avulso quando pode estar embalado, pronto a levar? 

 

Porquê aproveitar a embalagem se na próxima ida às compras já trago outra montanha delas?

 

O que faço quando esgotar todas as ideias de bricolage e as embalagens continuarem a chegar?

 

O que fazer com tanta embalagem que nem para reutilizar ou reciclar servem?

 

Aqui tenho ainda mais dificuldade em aceitar. São muitas as embalagens desnecessárias que encontramos numa ida às compras. Embalagens dentro de embalagens, sacos e saquinhos, já para não falar nas embalagens completamente descartáveis, pelas quais naturalmente pagamos ao adquirir o produto e que vão diretamente para o lixo. Enfim acredito que aqui ainda há muito a melhorar e quanto a mim este processo tem mesmo que começar nas marcas e comerciantes. Por mim, muitos dos produtos não precisam vir embalados com tanta tralha, porque eu levo sacos!

 

As embalagens que são passíveis de se reutilizar tal e qual como estão, para guardar outros objetos ou alimentos (dependendo da origem da embalagem em causa), são por exemplo frascos e outros recipientes, com ou sem tampa, seja em vidro, plástico ou qualquer outro material. Estas e outras podem por vezes ser aproveitadas como matéria prima a transformar num processo de reciclagem como refiro mais abaixo onde falo da reutilização por esta via.

 

Ainda assim são muitas as embalagens no dia a dia e acaba por chegar a um ponto em que já nem reciclando se encontra utilidade para dar conta de tanta tralha.

 

Começar pela raiz do problema para o solucionar é talvez a melhor forma até que se conheça outra via mais sustentável para eliminar as montanhas de lixo que estamos a produzir. Até lá, o que está ao nosso alcance para mudar as tendências do mercado é fazer com que as nossas escolhas sejam mais criteriosas na altura da compra. Sempre que a procura aumenta a resposta acaba por aparecer. 

Quanto aos Produtos que apesar de usados podes “reciclar”, este é um tema que tem muito por onde falar.

Este processo de reciclagem é normalmente conhecido por Upcycling, ou seja, antes de ser sujeito ao processo de reciclagem, onde seria exposto a uma transformação química ou mecânica, o produto em causa, e na sua forma atual, volta diretamente ao topo do ciclo de criação de um novo produto como matéria prima. 

 

Para além da transformação dos mais variados objetos do quotidiano por este método, o Upcycling está muito relacionado com o aproveitamento de roupas e outros artigos têxteis novos ou usados. Podes ver mais sobre o conceito e origem do Upcycling no artigo Fast fashion, Slow fashion e Upcycling 

 

Para melhores exemplos sobre o Upcycling optei por fazê-lo num artigo à parte que irei partilhar aqui em breve. 

Tu sabes quem vai gostar de ver isto!

Partilha ;)

Artigos Relacionados